terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Você tem que ser forte?


Ser forte.  Quando a gente enfrenta perdas, frustrações e decepções capazes de nos prostrar, e a tristeza, o cansaço, a exaustão se apoderam de nós e o fardo do sofrimento parece ser impossível de carregar, aparece alguém que diz: "Você tem que ser forte". Já ouvi falaram pra mim e para outros, e já vi quem tenha tentado obedecer a ordem... Aqui reside o principal problema.

Somos bons em resolver o problema alheio, e muito inábeis de resolver os nossos. Temos uma disposição inexplicável para buscar carregar fardos que não nos pertencem, e distribuir outros iguais mundo à fora. Já pensou se a verdade fosse o oposto?

Pois bem, eis que existe um Deus forte para gente fraca. Pelo menos é nisso que os cristão acreditam acerca de Deus e de si próprios, conforme o ensino da Bíblia. Mas por que insistimos na versão errada do "ser forte"? Dito em outras palavras: Qual é a vantagem de se ter um Deus forte, quando a gente é forte por si só? Igualmente não há qualquer vantagem de ter um Deus fraco quando a gente também é fraco... É por isso que embora a gente saiba, sofremos por colocar um abismo entre o que a gente sabe que é certo e aquilo que a gente vive como se fosse. Calma, isso de dito de outra forma fica assim: Nem sempre a age conforme o que a gente sabe ser certo. O fato é que precisamos de poder. Precisamos de força para enfrentar a vida. Morrer não exige luta, e como desistir não é uma opção... 

É porque estamos vivos que dói, que é difícil, exige esforço, mas a boa notícia é que não necessariamente seu. Numa historieta dessas que pregadores contam para ilustrar sermão e verdades profundas, esta me chamam a atenção, e acredito que ajudem aqui.

Um príncipe queria testar a honestidade das candidatas à princesa, e deu a cada um delas um vaso somente com terra. Disse que elas teriam que regar e cuidar de modo a ver nascer a flor cuja semente havia sido ali semeada disse o príncipe.

Porém, conforme o tempo foi passando, nada brotava em vaso algum. Curiosamente, no dia do reencontro, foi um show: cada princesa veio com uma flor mais linda do que a outra no vaso que carregava, pois queriam demonstrar com que cuidado e sensibilidade tinham trazido suas flores à vista. Mas como supostamente a semente teria sido à mesma, explicar a multidão variada de flores virou uma missão à parte. Mas houve uma, muito entristecida, chorosa e derrotada, que apresentou o vaso vazio. Ela confessou ter feito tudo o que estava ao seu alcance para fazer a bendita flor brotar. Regou, protegeu, e fez o que mais era necessário, mas nada brotou. Contudo, para a surpresa de todos, esta foi justamente esta a quem o príncipe escolheu para ser sua esposa. No dia da cerimônia, sem ninguém entender nada, ele resolveu explicar o caso ao reino: "Meus caros súditos, o objetivo da tarefa não era me trazer flores, mas verificar qual delas me seria fiel, dedicada e sobretudo honesta. Entretanto, nenhuma semente havia nos vasos, o que me levou a concluir facilmente quem havia realmente se dedicado, e quem fingiu, produzindo o que havia sido semeado..." 

Parece que já interiorizamos a noção de que temos ser mais forte que todos ao nosso redor. A fraqueza não é gentilmente tolerada. E aí dois lados de uma moeda nefasta se apresenta:

1. Quando queremos ser fortes, nossa fraqueza fica ainda mais evidente, e mais sofrimento é trazido para o caso. Será que não estamos desmoronando porque resolvemos fazer o que não nos foi pedido por Deus? Tem flores nos seu vaso? Que legal... mas... como elas foram parar lá? Quem te disse que você teria que apresentá-las? Certamente que Deus está lhe testando, te melhorando e fortalecendo. Mas acima de tudo, Ele está moldando o seu caráter... mas vc não está tomando um peso maior do que suas costas são capazes de carregar? 

Nossa estratégia (erroneamente redentiva) de procurar poupar os demais de ver nossas fraquezas geralmente pesam mais sobre nós, e acabam por no final não poupar ninguém.  Acaso não sofreram? Eles choraram menos do que chorariam caso vc não tivesse sido "tão forte"? Elas sentem menos falta, menos dor, menos cansaço, menos sofrimento, do que você?

2. Quando queremos que os outros sejam forte, estamos impondo um peso extra ao sofrimento alheio, na expectativa que nossa própria fraqueza não seja descoberta. Como enfermeiros sem piedade, recomendamos que choro seja engolido, como quem engole remédio amargo, porque acreditamos que os se virem a dor os demais não suportariam... mas como saber? Eu mesmo já ouvi tamanho disparate, e carreguei muita ira ao longo dos anos por não tolerarem meu choro que evidenciava a dor da saudade. Depois entendi que aquela tinha sido uma desastrada tentativa de me consolar. Eu os vi como Jó viu seus consoladores: como "molestos". Por que no lugar disso não se ofereceram para dividiu o peso comigo? Você tem dado esse tipo de conselho ou tem se oferecido para carregar o peso junto com a pessoa? Quando a gente divide o peso, todos carregam um pouquinho... quando não fazemos, alguém carrega tudo sozinho. Está pesado, e o seria de qualquer forma, mas não precisaria nos esmagar... bastaria ser dividido. 

Mas eis que bendito convite nos faz o evangelho, aqui: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve." Mateus 11:28-30.

Você sempre teve alguém com quem dividir o peso, mesmo agora! Com uma vantagem: ele é superpoderoso! (Onipotente, se preferir) O que fazer diante do que foi posto? Corra pra ele! Diga pra Jesus, sincera e diretamente, que vc não aguenta, que dói e que está difícil... mas diga "de verdade", de peito aberto, com aquele sinceridade que aperta o peito e faz sair gritado pela voz! Diga, e entregue... 
Aconselhe que essa corrida seja feita com brevidade, se no caso você for o conselheiro. Lembre-se e lembre-os que depositar em Deus e seu Cristo nossa confiança pode parecer um passo simples, mas enquanto não for tomado, seu coração não encontrará a paz que excede todo entendimento: "Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus". (Filipenses 4:6)

Isso é possível... basta que se siga a recomendação...
Reações:

0 comentários:

Pesquisar este blog

Pesquisar por assunto

Aconselhamento Bíblico (28) Adultério (1) Aflição (3) Agradar a Deus (4) Alegria (5) Amor (2) Amor ao próximo (1) Anarquia (1) Ano Novo (2) Ansiedade (1) Antropologia (1) Argumentação (7) Arrependimento (6) Auto-engano (1) Auto-estima (2) Auto-exame (2) Auto-justiça (4) Autoconhecimento (2) Autoridade (1) Casais (2) Casamento misto (1) Compaixão (3) Comportamento (13) Comunhão (2) Comunicação (5) Confiança (8) Conflitos (3) Confrontação (3) Conhecimento de Deus (6) Consolo (4) Contentamento (3) Convencimento (8) Coração (5) Coração de pedra (1) Cosmovisão (9) Criação de filhos (6) Cuidado da alma (6) Cuidados do conselheiro (3) Culpa (3) Dependência de Deus (2) Depravação total (1) Depressão (1) Desejos do coração (7) Deus conosco (1) Direitos (1) Dor (2) Edificação do irmão (1) Egoísmo (4) Emoções (7) Encorajamento (11) Engano (4) Escolhas (2) Esperança (3) Estudo (1) família (2) Farisaísmo (2) Fariseu (3) (3) Filosofia (1) Fundamentos (14) Glória de Deus (5) Guerra (3) Idolatria (10) Ídolos do coração (3) Imagem de Deus (1) Instrução (4) Intentos do coração (1) intimidade com Deus (1) Inversão de valores (2) Ira (2) Jean Carlos (12) Jean Carlos Serra Freitas (12) Jônatas Abdias (29) Justiça de Deus (1) Justiça própria (3) Justificação (1) Legalismo (2) Liberdade cristã (2) luta por poder (1) Más lembranças (3) meios de graça (1) Mentira (2) mil (1) milt (1) Milton Jr. (58) Monismo (1) Motivação (12) Motivações (4) Obediência (1) Objetivos (1) Oração (1) Orgulho (2) Paciência (3) Palavra de Deus (9) Passado (3) Paz (5) pecado (3) Perdão (6) Piedade (4) Plano de Deus (3) Planos (1) Prática da Palavra (17) Prática do aconselhamento (7) Presença de Deus (2) Pressupostos Teológicos (18) Psicologia (4) Psiquiatria (1) Racionalização (1) Redenção (7) Relacionamentos (7) remédios psiquiátricos (1) Remorso (2) sabedoria (5) Salvação (1) Santificação (2) Soberania de Deus (6) Sofrimento (7) Suficiência das Escrituras (23) Tarefas (2) Temor de homens (2) Temor do Senhor (1) teoria (1) Tesouros (1) tristeza (5) Unidade (1) Verdade (4) Vida cristã (26) Vontade de Deus (4)