quarta-feira, 9 de março de 2016

Aconselhamento bíblico e algumas exortações.

biblia-abertaAtualmente é possível observar o quanto a igreja foi influenciada pelo secularismo. Isso aconteceu de tal forma que é difícil encontrar uma área da igreja em que não houve influência externa. Na educação de filhos, no casamento, na pregação, nos aconselhamentos, na própria administração da igreja, enfim, a lista parece estender-se sobre praticamente todas as áreas da igreja, contaminada por uma perspectiva mundana, natural e antibíblica.

Qualquer que seja o problema, dificuldade, ou provação, há uma leitura pragmática sendo aplicada na tentativa de resolução dos problemas. Os óculos usados por muitos para identificar problemas e apontar soluções para a vida cristã, não leva em consideração somente as Escrituras, pois foram seduzidos e tentados a usar outros recursos para tratar dos males que afligem o coração.

Muitos estão fascinados pela última grande descoberta apresentada por homens e mulheres que ignoram completamente os aspectos da obra da redenção. Há uma importante denúncia sobre isso no excelente livro de John Macarthur, Sociedade sem pecado. Nesta obra o autor denuncia, com fartas evidências, como a nossa sociedade foi gradativamente excluindo a ideia cristã do pecado em absolutamente todas as esferas da vida.

Lembro-me claramente de uma conversa que tive com um pastor da área de “cura e libertação” do moderno movimento de batalha espiritual. Em um dado momento da nossa conversa fiz a seguinte pergunta: “é possível tratar e curar as feridas da alma usando somente a Bíblia, a Palavra de Deus?” Eis sua resposta: “sim, mas é mais difícil”. Esta foi uma das respostas mais sinceras e tristes que já ouvi. A impressão que fica é que muitos membros de diversas denominações não estão crendo mais na Palavra de Deus como Palavra de Deus viva e eficaz (Hb. 4.12).

Outra triste constatação ocorreu quando conversava com alguns amigos sobre as dificuldades encontradas no casamento e alguém citou um “pastor piadista” como uma bênção. Afirmei que não considerava uma bênção tão somente porque ele não ensinava os casais a procurar na Palavra de Deus os recursos para uma vida santa. Como se isso não fosse suficiente, o “pastor piadista” fazia todos rirem de situações corriqueiras da vida comum do casal. Ao final de cada encontro, todos saiam felizes e leves, afinal, a palestra motivacional havia sido uma “bênção”. Propus então o seguinte: para cada tribulação envolvendo os cônjuges, bastaria contar uma piada ou falar algo engraçado que os problemas seriam resolvidos. Evidente que esta não é a melhor abordagem. Nos momentos críticos da vida conjugal, as piadas e gracinhas não confortam o coração, não conduzem à vida e a piedade, não serve para absolutamente nada.

Aos amigos conselheiros que lidam com os dramas do cotidiano, sabem que isso não funciona. As provações que atingem a todos não podem receber outra abordagem senão, o doce consolo da Palavra de Deus.

As Escrituras efetivamente conduzem o homem a sabedoria (Tm. 3.15). Não há nada mais precioso neste mundo do que o uso adequado da Palavra de Deus para orientar, consolar, exortar e trazer esperança ao coração do cristão.

No intuito de animar os irmãos conselheiros, gostaria de deixar algumas exortações, aplicadas em primeiro lugar em minha própria vida.

1 – Não fique intimidado com a popularidade daqueles que fazem mal uso da Palavra de Deus. Não queira imitá-los. Não trabalhamos pelos aplausos dos homens, mas trabalhamos para a glória de Deus e do seu filho Jesus Cristo.

2 – Continue crendo que a Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração. (Hb.4.12).

3 – Não se acomode. Continue estudando a Palavra de Deus, procurando bons livros sobre aconselhamento bíblico.

4 – Procure ajuda. Há muitos conselheiros bíblicos que estão atuando há mais tempo que nós e podem nos ajudar profundamente.

5 – Cuidado com a agenda. Sei que seremos tentados a doar nossas forças e tempo para ajudar outros em momentos difíceis. Porém, cuidado com o pouco tempo investido na própria família. Com equilíbrio e bom senso, poderemos ajudar outras famílias sem prejudicar nossa própria família.

6 – Como conselheiros bíblicos, nossa tarefa é ajudar outros a olhar para o redentor Jesus, não para nós mesmos.

7 – Não somos conselheiros perfeitos. Podemos errar durante o processo de aconselhamento.

8 – O conselheiro bíblico deve ser íntegro e agir sempre com integridade, biblicamente orientado.

9 – Tenha coragem santa para confrontar o pecado.

10 – Haja sempre com prudência.

11 – Cuidado com o orgulho e com a soberba.

12 – Lembre-se sempre que é o Espírito Santo quem atinge o coração do aconselhado.

13 – A principal motivação para o aconselhamento bíblico e fazer refletir a glória de Deus na vida do aconselhado.

14 – Aprofunde-se no conhecimento bíblico, afinal, a Bíblia tem todas as respostas.

Sei que há muitos outros conselhos. O intuito não foi elaborar uma lista exaustiva. Meu desejo é simplesmente compartilhar algumas exortações ou orientações para desenvolvermos continuamente nosso trabalho na área de aconselhamento bíblico. Deus nos abençoe, nos incentive e nos proteja sempre.

Reações:

0 comentários:

Pesquisar este blog

Pesquisar por assunto

Aconselhamento Bíblico (24) Adultério (1) Aflição (2) Agradar a Deus (3) Alegria (6) Amor (2) Amor ao próximo (1) Anarquia (1) Ano Novo (2) Ansiedade (1) Argumentação (7) Arrependimento (5) Auto-estima (2) Auto-justiça (4) Autoridade (1) Casais (2) Casamento misto (1) Compaixão (3) Comportamento (13) Comunhão (2) Comunicação (5) Confiança (6) Conflitos (2) Confrontação (2) Conhecimento de Deus (4) Consolo (5) Contentamento (3) Convencimento (5) Coração (5) Coração de pedra (1) Cosmovisão (7) Criação de filhos (6) Cuidado da alma (5) Cuidados do conselheiro (2) Culpa (3) Dependência de Deus (2) Depravação total (1) Depressão (1) Desejos do coração (7) Deus conosco (1) Direitos (1) Dor (2) Edificação do irmão (1) Egoísmo (3) Emoções (6) Encorajamento (9) Engano (4) Escolhas (2) Esperança (3) Estudo (1) família (2) Farisaísmo (2) Fariseu (3) (1) Filosofia (1) Fundamentos (12) Glória de Deus (5) Guerra (3) Idolatria (10) Ídolos do coração (3) Imagem de Deus (1) Instrução (3) Intentos do coração (1) intimidade com Deus (1) Inversão de valores (2) Ira (2) Jean Carlos (12) Jean Carlos Serra Freitas (10) Jônatas Abdias (26) Justiça de Deus (1) Justiça própria (2) Justificação (1) Legalismo (2) Liberdade cristã (2) luta por poder (1) Más lembranças (3) meios de graça (1) Mentira (2) mil (1) milt (1) Milton Jr. (55) Monismo (1) Motivação (11) Motivações (4) Obediência (1) Objetivos (1) Oração (1) Orgulho (2) Paciência (2) Palavra de Deus (10) Passado (3) Paz (5) pecado (3) Perdão (5) Piedade (4) Plano de Deus (3) Planos (1) Prática da Palavra (17) Prática do aconselhamento (5) Presença de Deus (2) Pressupostos Teológicos (18) Psicologia (4) Psiquiatria (1) Racionalização (1) Redenção (7) Relacionamentos (6) remédios psiquiátricos (1) Remorso (2) sabedoria (5) Salvação (1) Santificação (2) Soberania de Deus (7) Sofrimento (6) Suficiência das Escrituras (22) Tarefas (1) Temor de homens (2) Temor do Senhor (1) Tesouros (1) tristeza (5) Unidade (1) Verdade (4) Vida cristã (23) Vontade de Deus (3)