quarta-feira, 11 de maio de 2016

Bíblia faz bem à saúde

 

biblia-e-estetoscopio

Aqui e ali temos ouvido sobre novas doenças, novos vírus. Isso tem despertado muita preocupação e não poderia ser diferente. E em razão da preocupação com um estilo de vida mais saudável, sempre temos ouvido que produto “x” ou medicamento “y” faz bem à saúde. Ao estilo brasileiro, muitos trocam receitas e cardápios que prometem ajudar o corpo, incluindo alguns exercícios físicos complementares.

O cuidado com o estético ganhou proporções inimagináveis. A chamada “indústria da beleza” fatura milhões. Viver de aparência parece ser a nova moda consolidada. O facebook de alguma forma contribuiu para popularizar isso, afinal, ninguém deseja “sair feio na foto”.

É impressionante como a igreja foi influenciada tão rapidamente por isso. É impressionante como as famílias cederam à estética.

Alguém já disse que “aparência é tudo”.

Vez por outra ainda ouço que não precisamos de estudo bíblico sério e sistemático. Precisamos da ação do Espírito Santo na vida do cristão. Os que defendem ou simplesmente verbalizam isso, estão dizendo que estudar a Bíblia e ação do Espírito Santo é contraditório. E durante muito tempo a igreja foi atacada exatamente por seus próprios membros que defenderam, ou ainda defendem, a proposta descrita.

Com isso, os absurdos que temos visto atualmente em muitas igrejas, vão se consolidando esteticamente como verdade e padrão a ser adotado. A resistência e luta da igreja contra os males da atual geração evangélica ainda é melindrosa e cheia de atenuantes. E é claro que uma falsa teologia, um falso evangelho, não haverá de produzir fé genuína. Por isso, é bom lembrar que Bíblia faz bem à saúde.

Mais especificamente, encontramos cristãos despreparados para enfrentar a dor, o sofrimento e a morte. Também encontramos cristãos despreparados para enfrentar a fama, o sucesso e o triunfo.

Conheci vários membros de outras denominações que, ao ouvirem sobre a Soberania de Deus e suas implicações, ficaram boquiabertos e inconformados. Lembro-me de uma das frases dita por um irmão que acompanhei durante algum tempo. Ele me disse: “como isso me foi negado durante todos estes anos” !?

Vivemos numa época em que a vacilação e flexibilidade são louvados enquanto certeza e confiança são vistas como defeitos de caráter.

Os cristãos foram contaminados e instruídos a olhar para os fatos pelas lentes das ciências sociais e não através da bíblia. Pensar biblicamente está fora de moda. Usar o santo remédio que é Palavra de Deus, a Bíblia como recurso para nossa vida tem se tornado um verdadeiro desafio. Um rápido exemplo disso é a caixinha de promessas. Os textos foram selecionados somente para dizer ao aventureiro que tudo dará certo na vida.

Recordo-me de um aconselhamento em que o aconselhado estava com uma crise de fé. E, em meio à crise de fé, escolheu ler um filósofo existencialista (Nietzsche). E assim, afundou-se ainda mais na dúvida e na incerteza quanto a Deus, seus valores, seu reino ou sobre Cristo e o cristianismo. Nietzsche, definitivamente, não foi um bom conselheiro para a vida do meu amigo.

No estudo acadêmico, é claro que devemos, se tivermos oportunidade, de estudarmos os mais diversos aspectos do ser humano. Entretanto, devemos cuidar para que não fiquemos fascinados com outras coisas ou outras pessoas, além do que convém quanto a admiração, afinal, Deus não compartilha sua glória com ninguém.

A Bíblia faz bem à saúde. Ela não apenas nos fortalece, mas também nos ajuda no conhecimento de nós mesmos.

Atualmente, a saúde tem sido uma das áreas em que há investimento pesado de tempo, pesquisas e dinheiro. Afinal, não basta viver mais alguns anos, todos queremos viver e envelhecer com saúde. E para conseguir isso, investimos na alimentação balanceada, no cuidado com os excessos, dietas, ingestão de complementos para ajudar o metabolismo, enfim, a lista é extensa. O fato é que o mundo está muito preocupado com a saúde física. Guardada as devidas proporções, é claro que devemos cuidar da nossa saúde da melhor maneira possível. Entretanto, quando o assunto é cuidar da verdade bíblica, aí encontramos um problema fundamental.

As vezes tenho a impressão que a falsa teologia da prosperidade ganhou mais terreno no coração das pessoas do que podemos medir. Já escutei que esta falsa teologia já passou. Será mesmo? Ainda hoje a medida de uma boa vida é medida pela conta bancária. Vemos isso mais intensamente quando olhamos para igrejas. As maiores e mais ricas igrejas são qualificadas como as mais abençoadas. Enquanto as igrejas mais frágeis e menores são estimuladas a olharem para as igrejas mais ricas.

Além disso, vemos cristãos procurando os livros evangélicos de autoajuda intensamente. Para estes, os melhores sermões são aqueles que elevam nossa autoestima. Nossas programações eclesiásticas estão se transformando em programas legais para entretenimento. Pais estão procurando igrejas em que seus filhos possam ter atividades das mais variadas. Terceirizaram o ensino bíblico. Homens e mulheres querem uma atividade que lhes traga prazer e os faça esquecer dos seus problemas. Piadistas ganham espaço e status de pregadores maravilhosos. A Psicologia tem se tornado cada vez mais a ferramenta usada para aconselhamento. Casais estão se divorciando em razão da busca da felicidade. Cristãos estão a fraudar o bom testemunho para alcançar o desejo pecaminoso do coração. Cantores estão ameaçando seus críticos enquanto tais cantores destilam doses gigantescas de veneno de ensinos antibíblicos. É claro que isso não faz bem à saúde espiritual da igreja, da família ou mesmo do indivíduo.

A Bíblia faz bem à saúde porque revela meu pecado e minha natureza pecaminosa.

A Bíblia faz bem à saúde porque revela quem é Deus, santo e soberano e que não divide sua glória.

A Bíblia faz bem à saúde porque é a Palavra de Deus, viva e eficaz, e esta palavra é inerrante, autoritativa e suficiente.

A Bíblia faz bem à saúde porque demonstra claramente a realidade do céu e do inferno.

A Bíblia faz bem à saúde porque informa que haverá um julgamento justo e definitivo sobre todas as pessoas e suas ações.

A Bíblia faz bem à saúde porque revela que o filho de Deus, Jesus Cristo, esteve entre nós, morreu, ressuscitou, foi assunto aos céus e um dia retornará em glória.

A Bíblia faz bem à saúde porque revela que Jesus Cristo cumpriu a lei e ele, somente ele, pode agradar Deus.

A Bíblia faz bem à saúde porque revela que em Cristo, somos feitos nova criatura, e agora em Cristo, agradamos a Deus.

A Bíblia faz bem à saúde porque demonstra que Deus quer ser adorado não pela criatividade humana, mas conforme ele mesmo estabeleceu e que todos os atos de culto devem apontar tão somente para o Deus Altíssimo.

A Bíblia faz bem à saúde porque posso encontrar nela todo recurso celestial para lutar contra o pecado neste mundo caído.

A Bíblia faz bem à saúde porque não há outra fonte legítima para conhecermos Deus e qual a sua vontade para nossa vida.

A Bíblia faz bem à saúde porque aponta para o quebrantamento de coração, a humildade que devemos cultivar, a santidade que devemos ter, a confiança naquele que cuida de nós, a serenidade penetrante em tempos de tribulação, e o louvor a ser direcionado tão somente para Deus e Cristo Jesus.

A Bíblia faz bem à saúde porque declara a bendita ação do Santo Espírito de Deus em nós e através de nós.

Em tempos estranhos como os nossos, em que fontes fora da Bíblia são cada vez mais utilizadas, é urgente que o povo do Senhor se levante e erga-se para proclamar um retorno à Palavra de Deus. Como lemos no Salmo 119 10 e 11:

Com todo o meu coração te busquei; não me deixes desviar dos teus mandamentos.

Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.

Reações:

0 comentários:

Pesquisar este blog

Pesquisar por assunto

Aconselhamento Bíblico (29) Adultério (1) Aflição (3) Agradar a Deus (4) Alegria (5) Amor (2) Amor ao próximo (1) Anarquia (1) Ano Novo (2) Ansiedade (1) Antropologia (1) Argumentação (7) Arrependimento (6) Auto-engano (1) Auto-estima (2) Auto-exame (2) Auto-justiça (4) Autoconhecimento (2) Autoridade (1) Casais (2) Casamento misto (1) Compaixão (3) Comportamento (13) Comunhão (2) Comunicação (5) Confiança (8) Conflitos (4) Confrontação (3) Conhecimento de Deus (6) Consolo (4) Contentamento (3) Convencimento (8) Coração (6) Coração de pedra (1) Cosmovisão (9) Criação de filhos (6) Cuidado da alma (6) Cuidados do conselheiro (3) Culpa (3) Dependência de Deus (2) Depravação total (1) Depressão (1) deprevação total (1) Desejos do coração (8) Deus conosco (1) Direitos (1) Dor (2) Edificação do irmão (1) Egoísmo (4) Emoções (7) Encorajamento (11) Engano (5) Escolhas (2) Esperança (3) Estudo (1) família (2) Farisaísmo (2) Fariseu (3) (3) Felicidade (1) Filosofia (1) Fundamentos (14) Glória de Deus (6) Guerra (3) Humildade (1) Idolatria (10) Ídolos do coração (3) Imagem de Deus (1) Instrução (4) Intentos do coração (1) intimidade com Deus (1) Inversão de valores (3) Ira (2) Jean Carlos (12) Jean Carlos Serra Freitas (13) Jônatas Abdias (30) Justiça de Deus (1) Justiça própria (3) Justificação (1) Legalismo (2) Liberdade cristã (2) luta por poder (1) Más lembranças (3) meios de graça (1) Mentira (2) mil (1) milt (1) Milton Jr. (59) Monismo (1) Motivação (12) Motivações (4) Obediência (1) Objetivos (1) Oração (2) Orgulho (2) Paciência (3) Palavra de Deus (10) Passado (3) Paz (5) pecado (4) Perdão (7) Piedade (4) Plano de Deus (3) Planos (1) Prática da Palavra (17) Prática do aconselhamento (7) Presença de Deus (2) Pressupostos Teológicos (18) Psicologia (4) Psiquiatria (1) Racionalização (1) Redenção (7) Relacionamentos (7) remédios psiquiátricos (1) Remorso (2) sabedoria (6) Salvação (1) Santificação (3) Soberania de Deus (6) Sofrimento (7) Suficiência das Escrituras (24) Tarefas (2) Temor de homens (2) Temor do Senhor (1) teoria (1) Tesouros (1) tristeza (5) Unidade (1) Verdade (4) Vida cristã (26) Vontade de Deus (4)