quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Aconselhamento bíblico – um caminho para a revitalização da igreja.

 

revitalizaçãoHabite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração.

E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. Colossenses 3. 16, 17.

No ano de 2013 participei da importante conferência em aconselhamento bíblico promovido pela ABCB (Associação Brasileira de Conselheiros Bíblicos) e pude ver algo realmente intrigante. Em um momento de folga entre uma palestra e outra, nos reunimos para tomar o famoso “cafezinho”. Para minha surpresa, reunidos em um só lugar, participando da mesma conferência e “falando a mesma língua”, homens e mulheres de diversas linhas teológicas, reformados e pentecostais, juntos estudando a Suficiência da Escritura no Aconselhamento.

Essa foi uma experiência curiosa, afinal, pude ver irmãos em Cristo unidos em torno de um tema fundamental para a teologia reformada que é a doutrina da Suficiência da Escritura. Evidentemente esta doutrina não é exclusiva de um grupo. Entretanto, historicamente, os reformados avançaram na defesa desta doutrina mais que qualquer outro grupo.

O legado reformado é mesmo riquíssimo, pois defende a Palavra de Deus como suficiente para os dilemas do coração. Para cada aspecto da vida, para cada dilema do coração, para cada momento de medo e perturbação da paz, para cada angústia a dilacerar a mente, há uma resposta bíblica eficaz.

Sei que há em nossos dias aqueles que estão a sentenciar que devemos ser menos reformados e mais “cordatos” com outras teologias. Sei que temos ouvido que devemos nos preocupar mais com o amor ao próximo do que qualquer outra coisa. Entretanto, quando de fato exercitamos a prática do aconselhamento, ou seja, o ato de ajudar irmãos em Cristo a superar seus pecados (se arrependendo dos seus pecados) mesmo em meio a mais densa treva, para tão somente se parecerem mais com Cristo, perceberemos que tais orientações mencionadas acima, nos levarão a conselhos ineficazes, nos levarão a ensinar, direta ou indiretamente que Cristo e sua Palavra são bons, mas não são suficientes, e isso definitivamente não é amar.

Há muitos anos escutei que o pastor conselheiro deveria conhecer o seu limite. Dito de outra forma: o pastor deve saber que é limitado e que, para determinados problemas do comportamento tais como medo, angustia, depressão, ansiedade, etc. o conselheiro deve encaminhar o aconselhado para alguém que conseguirá tratar realmente o problema, ou seja, os profissionais da área da psicoterapia.

O movimento de aconselhamento bíblico está crescendo e alcançando irmãos em Cristo de várias denominações. Junto a este crescimento, a consequência imediata será o exame mais aprofundado, mais cuidadoso, sobre a Palavra de Deus. Alguns ambientes de difícil acesso a pastores reformados, estão podendo respirar os ares da grandiosa doutrina da Suficiência da Escritura. Através do exame cuidadoso da Palavra de Deus, poderão meditar sobre Deus, seus magníficos e santos atributos, a obra vicária de Jesus Cristo, o triunfo e a eficácia da ação do Santo Espírito de Deus... enfim, poderão vislumbrar as chamadas doutrinas da graça, poderão contemplar a tragédia do pecado e como o pecado corrompe a alma, perverte os sentidos e dilacera o coração. Poderão ver com nitidez a gravidade do pecado como um mal moral. E, vendo com clareza bíblica sobre o pecado, poderão apresentar com clareza bíblica as respostas e os caminhos necessários para que o pecador se arrenda e se aproxime ainda mais de Jesus Cristo.

Tenho visto com tristeza o desprezo com que esta disciplina tem sido encarada e tratada em muitos ambientes presbiterianos. Porém, tenho visto ultimamente um despertar auto confrontador. Homens e mulheres com coragem santa para erguerem o estandarte da Cruz, se especializarem no conhecimento do aconselhamento bíblico para orientar seus irmãos em Cristo, rompendo assim com um ciclo estranho em que orientações ímpias originadas de ímpios foram recebidas com simpatia pela igreja.

Ao longo de anos a igreja abriu as portas para pensadores ímpios apresentarem suas propostas de conduta das normas morais. Convivemos há décadas com as orientações de homens e mulheres sem nenhum compromisso com Deus, ensinando a igreja na criação de filhos, ensinando a igreja sobre relacionamentos conjugais, ensinando a igreja na resolução de conflitos, ensinando a igreja a ser mais tolerante com o pecado, ensinando a igreja a se comportar diante da morte, diante do luto, diante dos dilemas do coração. Décadas de informação e formação fora dos padrões bíblicos teria uma consequência muito clara. Desânimo, frieza espiritual, atividades recreativas para animar o povo, para manter acessa alguma chama. O culto a Deus deixou de ser atrativo por si só. É claro que uma igreja caminhando este perverso caminho perderia sua empolgação e sua devoção a Deus. Tal igreja perderia seus jovens e desmotivaria seus anciãos.

O atual crescimento pelo interesse do aconselhamento bíblico enche meu coração de santa esperança, pois ao mesmo tempo em que somos treinados a exercitarmos uma contra cultura diante de uma cultura ímpia, somos impulsionados ao conhecimento de Deus e de sua Palavra. Bálsamo para a alma e fonte segura de conhecimento de Deus e de autoconhecimento – encontrados exclusivamente nas Escrituras Sagradas.

Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos.

Salmo 119.105

Para aqueles que decidiram trilhar o caminho do aconselhamento bíblico continuem com coragem e humildade (Sl 119. 141). Com preparo acadêmico e completa dependência do Santo Espírito de Deus. Não fiquem intimidados quando forem desprezados, mas preparem-se para orientar, confrontar e discipular quando Deus os chamar para esta empolgante tarefa.

Sei que há muito investimento e treinamento atualmente na área de revitalização de igrejas. O aconselhamento bíblico pode ser usado para contribuir de forma bíblica e segura para que isso aconteça.

Que o Senhor nos ajude.

Soli Deo Gloria

Jean Carlos Serra Freitas

Reações:

0 comentários:

Pesquisar este blog

Pesquisar por assunto

Aconselhamento Bíblico (28) Adultério (1) Aflição (3) Agradar a Deus (4) Alegria (5) Amor (2) Amor ao próximo (1) Anarquia (1) Ano Novo (2) Ansiedade (1) Antropologia (1) Argumentação (7) Arrependimento (6) Auto-engano (1) Auto-estima (2) Auto-exame (2) Auto-justiça (4) Autoconhecimento (2) Autoridade (1) Casais (2) Casamento misto (1) Compaixão (3) Comportamento (13) Comunhão (2) Comunicação (5) Confiança (8) Conflitos (3) Confrontação (3) Conhecimento de Deus (6) Consolo (4) Contentamento (3) Convencimento (8) Coração (5) Coração de pedra (1) Cosmovisão (9) Criação de filhos (6) Cuidado da alma (6) Cuidados do conselheiro (3) Culpa (3) Dependência de Deus (2) Depravação total (1) Depressão (1) Desejos do coração (7) Deus conosco (1) Direitos (1) Dor (2) Edificação do irmão (1) Egoísmo (4) Emoções (7) Encorajamento (11) Engano (4) Escolhas (2) Esperança (3) Estudo (1) família (2) Farisaísmo (2) Fariseu (3) (3) Filosofia (1) Fundamentos (14) Glória de Deus (5) Guerra (3) Idolatria (10) Ídolos do coração (3) Imagem de Deus (1) Instrução (4) Intentos do coração (1) intimidade com Deus (1) Inversão de valores (2) Ira (2) Jean Carlos (12) Jean Carlos Serra Freitas (12) Jônatas Abdias (29) Justiça de Deus (1) Justiça própria (3) Justificação (1) Legalismo (2) Liberdade cristã (2) luta por poder (1) Más lembranças (3) meios de graça (1) Mentira (2) mil (1) milt (1) Milton Jr. (58) Monismo (1) Motivação (12) Motivações (4) Obediência (1) Objetivos (1) Oração (1) Orgulho (2) Paciência (3) Palavra de Deus (9) Passado (3) Paz (5) pecado (3) Perdão (6) Piedade (4) Plano de Deus (3) Planos (1) Prática da Palavra (17) Prática do aconselhamento (7) Presença de Deus (2) Pressupostos Teológicos (18) Psicologia (4) Psiquiatria (1) Racionalização (1) Redenção (7) Relacionamentos (7) remédios psiquiátricos (1) Remorso (2) sabedoria (5) Salvação (1) Santificação (2) Soberania de Deus (6) Sofrimento (7) Suficiência das Escrituras (23) Tarefas (2) Temor de homens (2) Temor do Senhor (1) teoria (1) Tesouros (1) tristeza (5) Unidade (1) Verdade (4) Vida cristã (26) Vontade de Deus (4)